Estrada da Graciosa na Serra do Mar Curitiba x Antonina e Morretes

Nível de Interesse Turístico: 2 Excelente
A Estrada da Graciosa como é conhecida a Rodovia PR-410 que interliga Curitiba às cidades de Antonina e Morretes. É uma das mais belas do país onde atravessa o trecho mais preservado de Mata Atlântica do Brasil e sendo assim declarada pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Rodeada pela mata fechada de preservação e pelos belos riachos que nascem na Serra do Mar com seus 28 km de extensão.

Estrada da Graciosa na Serra do Mar Curitiba x Antonina e Morretes

É um local que possui uma variedade enorme de plantas, passáros, insetos e pequenos animais. Datam de 1721 as primeiras notícias sobre a pioneira Trilha da Graciosa, que deu origem ao trajeto.



Até o ano de 1954 a Estrada da Graciosa permaneceu como única estrada pavimentada do Estado, sendo importante rota de turistas ao litoral e escoamento da produção agrícola (café, erva-mate e madeira) do Paraná rumo ao Porto de Paranaguá e ao Porto de Antonina.

Saindo de Curitiba de bicicleta, moto ou automóvel em direção a São Paulo pela BR-116 a entrada da estrada e bem sinalizada por placas e fica a 37 quilômetros de Curitiba. Logo na entrada um lindo portal anuncia o inicio da descida da serra de 1050 metros de altitude, que é feita em pista simples e pavimentação que varia entre asfalto, paralelepípedos e pedras para facilitar o tráfego, mas não perder o aspecto original.

O trajeto possui muitas curvas sinuosas e ao longo de toda sua estensão são mantidos seis recantos com mirantes para admirar a bela vista, quiosques para venda de produtos típicos e estruturas de lazer com churrasqueiras e sanitários.

Os recantos são:

  • Engenheiro Lacerda – Encontra um mirante, para se observar à vista a baía de Paranaguá;
  • Rio Cascata – Encanta com sua belíssima queda d’água;
  • Grota funda – Possui um estreito e vale fundo;
  • Bela Vista – Observa-se Paranaguá;
  • Curva da Ferradura – Começo da trilha estrada do Caminho da Graciosa;
  • Parque Mãe Catira – Onde se concentra a grande maioria dos turistas para um banho gelado de rio.

Os visitantes que desejam conhecer as belezas da Serra do Mar paranaense, principalmente nos finais de semana e feriados devem ter disposição para levantar cedo, pois o trânsito de carros é menos intenso e as vagas do estacionamento e das churrasqueiras são esgotadas antes das 9 da manhã. A estrutura só oferece mesa, churrasqueira, pias, sanitários e lixos. Grelha, espetos, repelente e papel higiênico precisam ser levados.

Um fator para ser levado em conta no dia de seu passeio é o clima:



  • Dias nublados a bela vista fica prejudicada pela neblina;
  • Dias de chuva é muito perigoso tomar banho no rio;
  • No inverno melhor época, pois o sol fica o dia inteiro;
  • No verão chove todas as tardes.

Caso você só queria passar pela estrada e não ficar nos recantos. Ao fim da descida você chega à localidade de São João da Graciosa, onde as nascentes viraram um enorme rio chamado Nhundiaquara e uma bifurcação da estrada leva em direção à cidade de Morretes ou Antonina. Neste local encontram-se algumas pousadas e restaurantes, mas o que normalmente as pessoas fazem é ir até as cidades mencionadas acima para um passeio por cidades históricas cheias de restaurantes com pratos típicos e lojas de artesanatos.

Algumas opções para ajudar na montagem do seu roteiro:

  •  Descer a serra de trem e subir pela graciosa de ônibus;
  • Descer a estrada de automóvel, nos recantos dar uma paradinha e ir para as cidades já mencionadas;
  • Descer ficar nos recantos ônibus ou automóvel;
  • Comprar passeio pela agência que inclui trem x Almoço x city tour x Antonina, Morretes x Subir serra de Van pela estrada da Graciosa.